16.1.17

Esta solidão de janeiro


Pertence-nos agora esta solidão de janeiro
colada ao teu silêncio, mãe
Guardamos no olhar a transparência dos teus olhos,
a mitigar a fragilidade do nosso magoado coração.
Entreteceste em nós todos os gestos do amor.
Nunca indecisos. Nunca minguados. Nunca interrompidos.
Sentimos que são as tuas mãos que amparam
as sombras que nos seguem.

Graça Pires
Janeiro 2017

À memória da minha mãe que nos deixou em Janeiro de 2010.

60 comentários:

Ana Pires disse...

Muito bonito Mãe.
Temo-nos uns aos outros para nos confortar na ausência insubstituível e nas saudades que ficam para sempre.
Muitos beijinhos
A filha, a neta.

Cristina Cebola disse...

Lindo poema, linda homenagem...

Sei que os poetas podem até sublimar a morte na fragilidade de seus corações humanos.
Contudo, possa essa mão de Anjo que hoje habita o céu , ser caricia reconfortante para vossos corações magoados...

AS mães nunca morrem!!


Beijinho solidário e muito amigo Graça....

LuísM Castanheira disse...


Mãe
Esse Ser Único
No inegualavel Amor
E na perpetuada Lembrança.
(nos olhos dos nossos filhos, os seus olhos, mãe...).
Um beijo, minha Amiga

Alfredo Rangel disse...

Linda homenagem, Graça. Coisa de gente sensível, cheia de amor. Que é o que sinto quando te encontro no almatua. Beijo e solidariedade.

Ana disse...

Está lindo o poema!

Olivia disse...

Este mês de Janeiro é um mês de "solidão" para mim. Dia 27, faz muitos anos que o meu pai faleceu. É um belo poema este.

✿ chica disse...

Lindo poema e homenagem...Obrigada pelo carinho! bjs praianos,chica

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, Poema maravilhoso e merecido em homenagem é sua mãe.
AG

Suzete Brainer disse...

Belíssimo e único este seu poema.

A leitura me comoveu como uma ponte direta na
saudade da (minha) Mãe, esta sempre presente numa luz
que guarda os nossos passos e toca
a emoção eterna!...

Boa semana, Poeta!
Um beijo, Graça.

Cidália Ferreira disse...

Lindo! Profundo! Amei


Beijinhos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

José Vilhena Moreira disse...

...a mãe é um abrigo para sempre!
bj

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Graça,
que bela homenagem, bem merecida para a Mãe,a saudade chegou aqui também...
muito lindo cheio de amor. Beijos!

Lídia Borges disse...


Sente-se o conforto de umas mãos insubstituíveis. Quem concedeu às mães o direito de morrer?

Um abraço meu!

Lídia

tb disse...

Um beijo sentido, minha amiga. Para mitigar a solidão...
Como sempre, um poema tão belo!..

Marta Vinhais disse...

As saudades...escondidas no coração... Mas há sempre a memória dos tempos em que nos sorria...
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

P.S.: Tenho alguns poemas e contos publicados. Policial ainda não...

Tais Luso disse...

uf... poema sobre mãe é difícil, minha amiga! Dá uma saudade, um vazio deixado, uma ferida que volta e meia abre... São recordações que queremos ver e feridas que não queremos ter. Aguenta coração!
Beijo, minha querida. Fique bem.

CÉU disse...

Olá, querida Graça!

Janeiro foi, então, o mês em que a mãe partiu, e desse facto nasceu uma poema (talvez mais k um), sentido, carinhoso, triste, naturalmente, mas o coração tb necessita desabafar e a mente, sem lhe daremos "ordens", precisa relembrar, relembrar, aliás, esta nunca esquece acontecimentos relevantes.

Tenho impressão, que a Graça é a 1ª da esquerda, na fotografia. Acertei? Têm todos um ar de quem está de bem com a vida.

Beijos e boa semana.

regina disse...

Belíssimo.
Abraço
Regina Gouveia

Tais Luso disse...

Sentimos que são as tuas mãos que amparam
as sombras que nos seguem.


Veio lá do fundo da alma, não amiga?
Belo, comove. Vim reler...
bj

Nequéren Reis disse...

Que maximo linda poesia, obrigado pela visita e tenha uma semana abençoada.
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Isa Sá disse...

Um bonito poema em jeito de homenagem...
Isabel Sá
Brilhos da Moda

Anete disse...

Bonito e saudoso poetar...
O meu abraço nesta 3ª feira...

Laura Ferreira disse...

Lindo, Graça.

boa semana

beijinho

Bell disse...

Linda homenagem, amor eterno.

bjokas =)

Cadinho RoCo disse...

As mães se eternizam em nós, naturalmente. Buscando sintonia com a nossa www.hellowebradio.com ... desejo de acolhimento.
Cadinho RoCo

Pedro Luso disse...

Olá Graça.
Um poema pleno de beleza, em homenagem à mãe. Parabéns.
Beijos.
Pedro.

manuela baptista disse...

o amor é uma fala a cantar silêncios


um abraço, Graça

Ariana Coimbra disse...

Mães: eternos anjos a nos proteger com suas asas enormes e nos presentear com amor genuíno e eterno.

Belo poema.

Beijo

Benó disse...

Graça, muito obrigada pela visita. Está tudo bem, felizmente. Talvez um pouco de cansaço aliado ao tempo quem se tem feito sentir em que o aconchego duma manta e o calor da lareira convidam mais à meditação do que à ação. O Jardim espera por mim, eu sei, ele como eu necessitamos de chuva para sair da letargia em que nos encontramos. Um abraço e mais uma vez grata pelo seu interesse.

Nadine Granad disse...

Que belo!
Certamente a presença será eterna ;-)

Beijos =)

Sinval Santos da Silveira disse...

Amiga, Graça Pires, Boa noite !
O que dizer, diante desse quadro ?
Não me atreveria, jamais, pois já
passei por isto, também.
Segue, apenas e emocionado, o meu
abraço, muito especial, aqui do
Brasil.
Sinval.

Odete Ferreira disse...

O que diferencia os poemas que se escrevem à mãe que nos deixou fisicamente? Não é o amor! Não é a saudade! Todos eles mantêm, na sua matriz, estes fortíssimos sentimentos. É, pois, a forma como esses sentimentos fervilham nas palavras escolhidas e os referentes que se elegem como legado, que os torna únicos e identificativos do poeta. E o janeiro nunca mais será como antes da partida da tua mãe.
Dizer que é belo, é pouco. Apraz-me antes dizer-te da bênção que te foi dado viver.
Bjo, amiga

alp disse...

Una foto entrañable..seguro..Feliz año..un saludo desde Murcia.

ManuelFL disse...

Memória lindíssima e comovente de uma mãe maravilhosa, um ser único de luz e ternura, de humana inteireza e integridade, que soube transmitir aos filhos.
Basta a sua presença, sim, porque ela nunca nos deixou, para nos sentirmos ou desejarmos ser melhores.

Diana Lestan disse...

Amiga Graça, quem parte, nunca parte realmente, deixa pedaços aqui e ali, espalhados na memória,sensações inconfundíveis, lembranças preciosas, que vamos recolhendo e costurando em nosso próprio ser, somando ao que somos, ao que vamos nos tornando a cada dia... Belo texto, beijo e uma ótima semana.

teresa p. disse...

Junto-me à tua bela e sentida homenagem à nossa Mãe, com uma saudade sempre presente. Soletro as palavras do poema como numa prece magoada e repito, também, com convicção, "sentimos que são as tuas mãos que amparam as sombras que nos seguem".
Beijo.

Eu e minhas plantinhas por Simone Felic disse...

Queridos que partem , sempre deixam sua marca
em nós, um belo enlace de palavras em homenagem á ela,
que na verdade não partiu, ainda vive nos corações de quem a ama.
Bjs

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

José Carlos Sant Anna disse...

Há mais uma estrela no céu e um poema comovido e comovente porque tão expressivo, aqui, na terra. Só os poetas são capazes de sublimar a dor de forma tão terna.
Um abraço afetuoso para reconfotá-la, Graç!a

Manuel Veiga disse...

tenho dificuldade em comentar, Graça!

tão pessoal e tão sentido.

beijo, minha amiga

Mar Arável disse...

Bjs tantos

Marisa disse...

Me encanta! :)

baili disse...

How true you are to say that you are the hands of her that support the shadows who follow you!
Nothing else can be better than these lovely tributes to your mom friend.
God bless you!

solfirmino disse...

Que linda e triste homenagem. Nunca passei por isso.
E janeiro é um mês de festa na família, pois é o mês de aniversário da minha mãe. Fique bem. Beijos

Anónimo disse...

Há sete anos,
sete longos anos!,
que partiste, mãe.
Por vezes
parece
que ainda ontem
me estavas
a acariciar
os cabelos.
Por vezes
parece
que já não o fazes
há décadas…

Tenho saudades
de acariciar a tua face
com os meus dedos!
Tenho muitas saudades, mãe,
do teu sorriso
e da tua sensatez.
Muitas saudades!

(José Pires)

Jaime Portela disse...

A ausência da mãe causa-nos sempre solidão.
Excelente poema, numa bela homenagem à sua mãe.
Graça, tem um bom fim de semana.
Beijo.

graça Alves disse...

Que bonito, Graça!
É este dizer tudo sem dizer tudo que também admiro em si.
Um belíssimo olhar poético para a tristeza da separação.
Beijinhos

Teresa Durães disse...

Uma homenagem bela!

Agostinho disse...

"As sombras que nos seguem" são a graça que devemos merecer para que não se perca o fio dos afectos que liga geração a geração. A Graça expressa-se com palavras-reflexo do coração. Profundamente.

Na fragilidade delicada
do poema
verso a verso
encontramos o fio
que nos guia a subida
passo a passo
na encosta
dos solstícios da vida

Bj.

Teresa Almeida disse...

Apenas dizer-te que esse cordão que um dia nos ligou à vida nunca se quebrará. As tuas palavras continuam esse eterno amor. Tão bem!
Beijinho, amiga.

AC disse...

Mãe: eterna ligação, eterno farol...
Belo e sentido, Graça.

Um beijinho :)

Anabela Jardim disse...

Bela homenagem à sua mãe! Gratidão aos cuidados maternos, físicos e espirituais, nos faz bem, eternamente. Boa semana!

Maria Eu disse...

Um abraço apertado de filha e de mãe.

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça

um poema sentido e muito saudoso.

Janeiro também é muito doloroso para mim, e hoje ao ler o seu comentário no meu maresias, fiquei comovida e junto à sua à minha dor.

beijinho

:(

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Oh minha amiga que poema tão belo e comovente.
Uma homenagem muito sentida a sua mãezinha.
Os gestos dela estão presentes nos sorrisos que preservam para sempre a sua memória.
Um beijinho.
Ailime

Lourdinha Vilela disse...

Uma terna e grandiosa homenagem. Chorastes em versos. Um abraço.

Ana Freire disse...

Uma homenagem absolutamente comovente, Graça!
E assim Janeiro... sempre se torna ainda mais frio...
Fica pelo menos o calor das recordações, para amenizar a saudade...
Beijinho
Ana

Maria Isabel Q. disse...

Lindo e emocionante poema em memória da sua mãe. Beijinho.

Graça Sampaio disse...

«Sentimos que são as tuas mãos que amparam
as sombras que nos seguem.» - Que lindo!!! (por vezes sinto o mesmo ...)

Beijinho.

deep disse...

Bela e sentida homenagem, Graça.
Beijo

Lília Tavares disse...


Querida Graça,

Que sentida esta homenagem a uma mãe que fez presente.

...

Grande beijinho.

Lília