30.1.17

As laranjas


As laranjas,
vergando as árvores de tanto sumo,
fizeram-me sede.
Colho-as com os dentes propícios
à abundância de um soro cristalino
que alague a minha língua,
ávida da mais esperada seiva.

Graça Pires
De Uma claridade que cega, 2015

58 comentários:

Alfredo Rangel disse...

A seiva destas laranjas fazem bem ao meu paladar, encantam meus olhos e me levam até vc, Graça. Sou pura sede que precisa desta seiva...

baili disse...

One of my favorite fruits!
Being inhabitants of a hot area we feel more attracted to oranges and it stays always on top of our fruits desire list.
My grand parents (mom's )had a garden of oranges and as children we enjoyed them alot .my tongue still have that taste of freshness!

Laura Ferreira disse...

bela seiva de palavras, Graça :)

boa semana, beijinho

Olivia disse...

Wow mas que belo poema. A simplicidade complexa das palavras cativa-me.

✿ chica disse...

Até me deu vontade desse sumo agora...Lindo! bjs, ótima semana,chica

Nequéren Reis disse...

Encantador amei as suas linhas, tenha uma semana abençoada, obrigado pela visita.
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Bell disse...

Adoro!!

bjokas =)

graça Alves disse...


A minha avó dizia que só devíamos colher as laranjas do nosso quintal depois da bênção da Páscoa :)
Conclui-se que sobre tudo se escreve, é preciso é, como a Graça, saber :)
Beijinho

Poções de Arte disse...

A foto já dá água na boca.
Ler o poema ainda...

Abraços e feliz semana.

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Amiga, Graça Pires !
Que sugestiva poesia, provocando-me
um forte desejo de encharcar-me na
seiva doce, amarela e revitalizante
do fruto, carinhosamente, descrito
por ti.
Parabéns, com o meu fraterno abraço,
aqui do Brasil.

Luis Eme disse...

Que belo sumo poético.

abraço Graça

O Puma disse...

Laranjas pois claro minha amiga
mas só no seu belo poema
a sede que se deseja
Bjs

Marta Vinhais disse...

O fruto, a cor, o cheiro = o renascer de tudo...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Teresa Almeida disse...

A laranja seduz na beleza, n paladar e nas tuas palavras. Até a sede se levanta!
Beijinhos.

José Carlos Sant Anna disse...

Sobretudo a musicalidade do poema é sedutora, claro que o doce sumo tão poeticamente sugerido dá água na boca. Contudo, água na boca o que dá, é esse laborioso trabalho de linguagem.
Um boa semana para você também, generosa amiga!
Um beijo,

Cidália Ferreira disse...

Bom post. Apropriado para o Inverno. As laranjas. Belo textos

Hoje pela 5ª vez tentei, tem sido difícil enviar aqui os comentários.

Beijo de boa noite

Tais Luso disse...

O que seria de nós sem um suco de laranja quando acontece a mais pura sede? Uma angustiante secura?
Nada mais merecido um poema do que essa fruta fantástica!
Parabéns! Gostei!
Beijo, amiga.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Graça!
Onde estou, achei uma com muito caldo... mas nem sempre estão assim, é pena!
Lendo seu post, lembrei-me da deliciosa que saboreei aqui... chega senti o caldo da suculenta fruta...
Bjm muito fraterno

Pedro Luso disse...

Gostei muito, Graça, de As laranjas, poema
de grande sensibilidade e beleza. Parabéns.
Um beijo, Graça.
Pedro.

Ives disse...

Olá! Imaginei toda a cena na tua poesia! linda, que vai além das palavras! beijos

Isa Sá disse...

Gosto de laranjas...

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Daniel Costa disse...

Graça Pires
A laranja é uma fruta sadia com a sua vitamina C, que bem vale o belo poema, de uma poetisa de mérito.
Bjs

São disse...

Tão simples e tão belo...

Beijinhos, amiga, bom Fevereiro

LuísM Castanheira disse...

Um laranjal de doces frutos este poema.
Aqui não há lugar à acidez, minha amiga.
E "portugallo" é a mais "mais esperada seiva." em sêdes poéticas.
Um beijo, Graça e uma boa semana.

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Graça.
Isso que é talento, como a laranja conseguiu fazer um belo poema, realmente a natureza é bela e saborear uma laranja sentindo o seu liquido saindo dela, é algo gratificante e gostoso. Uma linda semana. Enorme abraço.

Mãe Maria disse...

amo laranjas..o poema tem mesmo um suco gostoso. As palavras assim o indicam.

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema lindíssimo repleto de um sabor poético magnífico!
A graça e sua sublime inspiração sempre à flor dos sentidos.
Um beijinho e continuação de boa semana.
Ailime

Humberto Maranduva disse...

Amiga Graça
Venho agradecer a visita e o comentário deixado no meu Blog.
A imagem que escolheu reflecte bem a cristalina pureza das origens e a legítima sede de partilha.
O poema, pequeno no tamanho, é poeticamente grande.
Quanto à pergunta que deixou sobre o conto «Regresso a casa», este integra uma publicação de vários contos breves.
Continuação de uma excelente semana.
Um abraço
Manuel Bragança dos Santos

Maria Rodrigues disse...

Adoro laranjas, o aroma das flores de laranjeira e este belíssimo poema
Beijinhos
Maria

Odete Ferreira disse...

Que saboroso, sumarento e sensitivo poema, Graça!
Bebi-o devagar, muito devagar, mas a sede (dele) manteve-se.
BJ, amiga 👏

manuela barroso disse...

Belíssimo texto icónico.
Depois, foi só saborear a seiva-sumo pela realidade
com que as palavras tornam o poema tão impactante.
Belo, Graça!
beijinho!:)

Simone Felic disse...

Gosto de laranjas, e em suco melhor ainda,
na poesia é primeira vez que provo e gostei.
Bjs

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Aleatoriamente disse...

O poema está vestido de uma deliciosa poesia.
Ambas íntimas.
Uma sorvendo poesia e outra tocando a poeta.
Belo....
👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻😊

Nadine Granad disse...

... e que suco doce extraiu!...
Lindo e leve ;-)

Beijos =)

Anete disse...

Graça, um poema suave e saboroso!
Um abraço nesta 4a feira...

Agostinho disse...

Por alguma razão a Poeta trouxe à pedra este poema num tempo em que os "dentes propícios" se fazem sentir.
Se para tudo é preciso ter dentes que seria das laranjas sem o sumo que a poesia lhes propiciou?
Bj.

Majo Dutra disse...

Esses frutos dourados, colhidos e saboreados
debaixo da aromática laranjeira, quando doces,
são de facto um néctar dos deuses que sacia de
modo agradabilíssimo qualquer sede...
Um poema refrescante que mereceu completamente
a honra de figurar na «Claridade que Cega»
Abraço, estimada Amiga.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Nequéren Reis disse...

Poesia deliciosa amei a sua inspiração, obrigado pela visita.
Blog:https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, certamente que a laranja é algarvia, esta é a mais saborosa e sumarenta, teve a virtude de lhe dar a inspiração para criar o lindo poema.
AG

ManuelFL disse...

A poeta é exímia na escolha das palavras - sede, dentes, língua, ávida, seiva - e dos verbos que as articulam e lhes dão um sentido próprio: vergar, colher, alagar.
Um exercício sobre as palavras que é também um hino ao desejo.

Beijo, Graça

Jaime Portela disse...

E estamos no tempo das laranjas...
Excelente poema, como sempre.
Manuela, continuação de boa semana.
Beijo.

teresa p. disse...

Um poema que desperta o desejo de comer uma bela laranja, doce e sumarenta. As palavras e a imagem completam-se no mesmo sentimento. Excelente!
Beijo.

Manuel Veiga disse...

sede pagã a tua, minha amiga!
insaciável desejo de colher o agridoce da vida.
muito belo, Poeta!

beijo

Graça Sampaio disse...

Adorei!! Laranjas - parti-las pelo meio e saboreá-las às dentadas até saciar.
Um poema bem sumarento...

Beijinho.

Cristina Cebola disse...

Um poema com sabor a vida!
O desassossego do poeta, perante a sofreguidão imposta pela sede...
E depois, a doçura inexplicável das palavras...

Gostei muito Graça

Beijinho

Silenciosamente ouvindo... disse...

Seiva muito agradável
como é a sua poesia.
Desejo-lhe um bom fim de semana,
apesar do desagradável climatérico.
Bjs.
Irene Alves

manuela baptista disse...

soro e sol

e os dentes brilham


um beijo, Graça

Ana Freire disse...

Um poema tão sumarento, quanto inspirador...
Uma belíssima celebração à vida!
Um belíssimo e profundo trabalho, como habitual, Graça!
Beijinho! Bom fim de semana!
Ana

Blog da Gigi disse...

Lindo final de semana! Beijos

Catarina H. disse...

Vitamina C para a constipação e bonitas palavras suas para inspiração :)
Gostei muito.
Beijinhos e bom fim de semana!

Fernanda Maria disse...

Deixaste a salivar minha amiga com esta magnífica descrição poética.

Um beijinho

Teresa Durães disse...

Ávida da natureza pura!

Maria Eu disse...

Fazem apetecer laranjas, as tuas palavras!

Beijos, Graça :)

© Piedade Araújo Sol disse...

uma fruta que inspirou a Poeta e que nos delicia com um poema fantástico.

gostei!

beijinhos

;)

Toninho disse...

Que linda definição amiga no seu mais alto grau de poesia e sensibilidade.
Lembrou-me Olavo Bilac ao fazer um anuncio de venda de uma chácara, que o
próprio dono ficou encantado e resolveu não mais vender a chácara ali descrita.
Bjs e boa semana amiga.

Sofia disse...

Eu não gosto de laranjas e até fiquei com vontade de comer uma!

AC disse...

O saciar de um momento, na lenta construção da compreensão dum edifício chamado vida.
Gosto sempre, a Graça sabe.

Um beijinho :)

DE-PROPOSITO disse...

As laranjas,
vergando as árvores de tanto sumo,
fizeram-me sede.
Colho-as com os dentes propícios
à abundância de um soro cristalino
que alague a minha língua,
ávida da mais esperada seiva.

Sete versos! Que dizer sobre eles?!... As laranjas maduras são doces. E onde há doçura, há carinho.

Que a felicidade ande por aí.
Abraço
MANUEL