3.10.16

Paz

Larry Burrows

Sobrepor a voz à dor sem pátria. 
Estar lá onde o olhar de todas as mães 
procura o olhar de todos os filhos. 
Ter um nome de combate para dizer paz.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

53 comentários:

✿ chica disse...

Lindo poema e tomara a paz possa existir,não só na palavra, mas de verdade! Linda semana! bjs, chica

Luis Eme disse...

E faz tanta falta esse olhar, Graça...

abraço

Cidália Ferreira disse...

Lindo, lindo. Adorei

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Nadine Granad disse...

Imagem e poema dançam uma valsa triste e bela!...

Abraços =)

anamar disse...

Belissimo, Graça.

Ler e chorar por mais.

Tenho tido uma vida incrivelmente ocupada para os meus parâmetros. Entre a Figueira e o Estoril

Vida ensanduichada. Agora já com pc. E, dia 6 vou para umas longas férias de que estou a precisar.

Beijocas amigas .

Ana

Fê blue bird disse...

Um olhar que se perde na maldade dos homens.

Um foto emocionante a acompanhar este seu tocante poema amiga Graça.

Um beijinho com o desejo de uma óptima semana

Bell disse...

O mundo precisa!!

Agradeço pelo carinho deixado para meu filho.

bjokas e uma ótima semana

Simone Felic disse...

Bela palavras para ilustrar um imagem tão
impactante.
Bjs e boa semana


http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/



Poções de Arte disse...

Que dor... não dá pra imaginar a dor de todas essas famílias.
Um mundo com paz e amor é o mundo dos sonhos, só na eternidade teremos essa oportunidade.
Obrigada pelo carinho com o jardim da Caverna Real.
Abração esmagador e feliz semana.

Tais Luso disse...

Que dor, que desespero essa foto, Graça!
É de se duvidar (ou ter certeza) da falta de sanidade dos homens, em viverem nesse horror, do que buscarem a paz, deixando a ganância, o fanatismo, a favor de seu próprio bem. O que temos é isso, enfim.

Beijo!

LuísM Castanheira disse...

os ventos sopram agrestes e as pombas desapareceram da face da terra - esta onde impera a guerra -, onde as bombas caem todos os dias.

fôssemos nós humanos e a palavra PAZ não faria sentido.

um oportuno, actual, preciso e necessário alerta.

uma semana de boas notícias, minha amiga.

...e um beijo de admiração.

Lucinalva disse...

Olá Graça
O mundo está precisando de muita paz. Bjs querida.

São disse...

Paz é nome que cada vez mais o Mundo ignora...

Beijinhos e excelente semana

regina disse...

Li o poema pela primeira vez em Caderno de significados e achei-o "de grande força e beleza".
Ao relê-lo agora ainda senti de novo o mesmo"impacto". Obrigada pela partilha.
Regina Gouveia

Manuel Luis disse...

Alcançar a paz é um negócio e não à dinheiro para investir. Vai-se gastando com as guerras. Está tudo errado.
Esta foto, faz-me recordar aqueles momentos de olhar Angola para traz.
Bjs

Teresa Almeida disse...

A força da palavra e da imagem. A urgência do grito. Beijo, Graça.

Mirtes Stolze. disse...

Um poema mostrando a dor de mães que buscam a paz onde seus filhos possam ter o direito de viver. Muito triste essa realidade. Foto mostra com clareza a dor humana.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Graça!
Se for me fixar mesmo na grande dor que a humanidade sofre, fico muito triste e nem teria vontade de viver... então, procuro orar e entregar nas mãos de Deus tamanho desespero das mães por seus filhos amados... imagem forte e que tantos a vivem na pele e na alma!
Bjm muito fraterno

Toninho disse...

Olá Graça!
Uma foto que parte o coração porque ela traduz o caos que certos povos vivem entre bombas e balas ricocheteando aos seus pés, caindo corpos dilacerados por todos os lados.
Um mundo de paz que tanto sonhamos e cremos que há de vir, embora cada dia o sistema diz não.
Suas palavras traduzem a foto com toda a dor que há.
Uma semana de paz e renovadas esperanças amiga.
Grato pela partilha.
Bjs.

Isa Sá disse...

Infelizmente cada vez menos à paz no mundo....


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Sinval Santos da Silveira disse...

Amiga, Graça Pires, bom dia !
Nem mesmo em Deus, encontro explicação
para esta atrocidade...
O mau fugiu do controle.
O teu belíssimo texto "fotografa", em
palavras, o que Larry Burrows trouxe
através da sua lente.
Um fraterno abraço, querida, aqui do
meu Brasil.

Suzete Brainer disse...

Graça,

A imagem e o poema no todo que grita na alma, a urgência
do nome paz, com o gesto da solidariedade tão escassa
nesta selva humana!...

Parabéns pelo excelente poema na construção
límpida, sintética e densa.
Com a força de um eco em todos que lerem,
este sentir da dor do abandono.

Beijo.

Mar Arável disse...

Mais belos os teus olhos

Bj

Manuel Veiga disse...


dói, sim num grito mudo...
e soltemos o grito, antes que a "banalidade do mal" se instale definitivamente.

beijo, Graça

AC disse...

A palavra, eficaz, para definir a falta de paz.
Excelente complementaridade entre palavras e foto)

Um beijinho, Graça :)

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Um poema intenso e belo ao qual associo a imagem da mãe, desesperada, que clama por Paz!
Chega de ver tantos órfãos, tanta dor, tanto sangue derramado.
Graça, minha Amiga e Enorme Poeta, um poema de excelência.
Obrigada.
Um beijinho.
Ailime

FATIMA WINES disse...

Na falta de paz, rareia o ar que respiramos,sobra-nos na imaginação a oxigenação da humanidade.
Como é possível dizer tanto em tão poucas palavras?! gostei.
um beijo

Ives disse...

Que essa voz possa ser ouvida pelo mundo todo. abração

Majo Dutra disse...

A dor não pára,
a fúria e a desumanidade não conhecem limites
e nós tão impotentes,
cada vez acreditamos menos em tratados que deveriam assegurar a paz.

Tão atual e pertinente é este poema
que expressa sentires profundos de dor e espanto!
Uma sábia concisão de opiniões dá mais realce à mensagem...

Beijinhos, estimada Poeta.
~~~~~~~~~~~~~~~~

Pedro Luso disse...

Quê mais posso, depois desse canto sensível às mães sem pátria?
Parabéns, Graça.
Abraço.
Pedro.

Ana Freire disse...

Que haja sempre vozes que se ergam bem alto a falar de paz...
Um poema muito belo... e bem a propósito, num dia em que uma voz portuguesa se fará ouvir muitas vezes a falar de paz, daqui para a frente, à frente da ONU...
Beijinho, Graça! Continuação de uma óptima semana!
Ana

tulipa disse...


Custa-me sempre falar de sentimentos e emoções

Porquê?

Porque, em matéria de sentimentos tenho sido uma infeliz

Daí que... revolto-me com a maldade do ser humano, que de humano nada tem.

E, que dizer dos que não são órfãos, mas ignoram a sua Mãe?

Enfim.... é melhor esquecer...
porque as lágrimas já rolam de tanta dor

Aproveito para agradecer a visita
e o comentário deixado.

Pois sobre o que diz:
Há alturas da nossa vida em que precisamos de ter apenas por companhia nós mesmas.
Mesmo assim, é difícil por vezes, entender a vida que temos.

Continuação de dias felizes.
Beijos.

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Apelar à paz já é lutar pela liberdade, porque sem paz jamais haverá liberdade. Essa liberdade
de que os poetas são arautos.
Beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

poucas palavras para dizer e apelar a tanto "Paz"
muito oportuno
a imagem muito elucidativa
beijo

teresa p. disse...

"ter um nome de combate para dizer paz" essa paz tão desejada por todos os homens de boa vontade, mas tão difícil de alcançar devido à ganância dos poderosos que se julgam os senhores do mundo.
É um pequeno poema com palavras grandiosas, complementado com uma foto impressionante que testemunha a dor humana de quem é vitima da estupidez da guerra.
Beijo.

ManuelFL disse...

O poema não podia ser mais ajustado aos tempos que correm.
Apetece transcrevê-lo por inteiro.
Estão lá as palavras certas.
A imagem escolhida é forte e perturbante.

Obrigado, Graça, pela tua luz. E um beijo.

graça Alves disse...

Que bonito, Graça!
Ao mesmo tempo um poema de intervenção!
bjs

As Mulheres 4estacoes disse...

Uma imagem que diz tanto, pelo olhar, pelo abraço que deseja proteger da dor.


Graça Sampaio disse...

Cheio de significado, de emoção, de dor... Muito bom.

Parabéns, sempre, Graça, pela forma como enleia as palavras. Beijinho.

Catarina H. disse...

Quando se faz guerra ninguém se lembra das mães, nem dos filhos, nem das famílias, nem dos olhares a procurar outros olhares.
Contassem mais esses olhares e de certeza que haveria mais paz.
Bonito texto, a chamar a atenção sobre aquilo em que não se pensa...
Bom fim de semana!

Maria Rodrigues disse...

Um hino à Paz em forma de poesia, absolutamente magnifico.
Beijinhos
Maria

Jaime Portela disse...

A voz é fraca.
Mas esperemos que ela fique forte para se "sobrepor à dor sem pátria".
Excelente, minha amiga.
Graça, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, é uma imagem de sofrimento que passou a ser comum aos nossos olhos no dia a dia, sofrimento que causa arrepios à maioria das pessoas, menos aqueles que o podem minimizar, com discursos bem elaborados com lágrimas de crocodilo, nada fazem.
Bom fim de semana,
AG

Blog da Gigi disse...

Abençoado domingo!!!!!!!!!!! Beijos

Anete disse...

Forte realidade descrita em bonito poema...
Como o mundo precisa de paz!
Um abraço e Boa Semana, Graça...

Sofia disse...

Paz, um conceito que parece tão simples, mas que não há maneira de se conseguir atingir...

Benó disse...

Muito atual este poema, Graça. Enquanto o homem como individuo uno não encontrar a sua paz, como poderá proporcionar PAZ aos outros?
Um abraço.

Lourdinha Vilela disse...

Um belo poema, ao mesmo tempo profundo e triste, tão real... Infelizmente!
Essa dor é maior ainda no coração das mães, neles ela se exacerba. A imagem é comovente.
Quero agradecer e carinho de suas palavras lá no Expresso do Interior. Também estava com saudades. Um abraço.

Agostinho disse...

Dito magnificamente.
Quando é que o homem ouve o clamor que dilacera o mundo?

Parece, agora, estar no bom caminho. Eu.
Um beijo de esperança.

Odete Ferreira disse...

Omnisciente, este poema, minha amiga!
Em apenas 4 versos dás voz ao desejo maior dos homens e mulheres de boa vontade.
Admirável!
Bjo, Graça :)

Odete Ferreira disse...

Voltei para te dizer que copiei o poema, com a indicação da obra onde o publicaste, pois, oportunamente, gostaria de o partilhar, ou no blogue ou na minha página do FB. Deixo-te o meu mail para me dizeres se não vês inconveniente.
oferreira2@hotmail.com

Victor Barão disse...

Como outros substanciais valores da Vida, naturalmente incluída a Paz, muitas vezes só se valoram quando se perdem.

Imagem e poema falam por si!

Jaime A. disse...

Paz, palavra doce que ressoa, que tamborila. À sua sombra, todas as mães deveriam travar a partida dos filhos. Assim, na sua autoidade.