19.9.16

No outono

Susan Deerges

No outono a lentura entretece os dias.
Cada uva mordida é um crivo do vinho
escorrendo nas gargantas mais sôfregas.
As aves sublimam a profecia das distâncias
com asas ansiosas de desertos e montanhas.
O mar, inclemente, afoga os navios e ama,
de madrugada, a bruma salgada
que alarma o eco iluminado de um farol.
Há uma espécie de desamparo
em cada árvore, abraçando
o vento rendida e desnuda.
As pessoas envolvem o desconforto da pele
em panos de tecelagem grossa
e vigiam de perto a febre dos filhos.

Graça Pires
De Uma claridade que cega, 2015

53 comentários:

✿ chica disse...

Lindos versos para um novo outono que por aí quase inicia! Linda semana,bjs, chica

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia querida Graça.
Um lindo poema para a chegada do outono por ai, você tem uma grande sensibilidade e ler os seus poemas é um enorme prazer. Uma linda semana, lindo outono para você e toda família. Enorme abraço.

José Vilhena Moreira disse...

A "lentura", ai a lentura...
:)
bj

Anete disse...

Palavras bonitas e bem tocantes...
Que o Outono que se aproxima por aí seja de muita inspiração e contentamentos...
O meu abraço...

Bell disse...

Lindo!!

bjokas =)

Simone Felic disse...

Olá Graça
Lindas palavras que senti o quase escorregar do vinho na garganta.
Bjs

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Luis Eme disse...

Sim... é tanto do que dizes, nos finais de Setembro e prolonga-se até Novembro...

Mas nem sempre com a beleza da tua poesia, Graça.

abraço

regina disse...

Gostei muito
Bjs
Regina Gouveia

teresa p. disse...

Excelente cântico ao Outono, a estação do ano de múltiplas facetas, em que a natureza se transfigura com tons ouro e transmite uma calma boa. Gostei muito do poema e, também, da imagem.
Beijo.

Marta Vinhais disse...

O Outono... a descer pelas montanhas, a perseguir as brisas....
Com novas cores e sonhos....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Maria Rodrigues disse...

Nostálgico e belo poema.
Gosto das cores do outono.
Beijinhos
Maria

Laura Ferreira disse...

gostei muito deste teu Outono, Graça.

Cidália Ferreira disse...

Lindo Poema. Amei

Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

LuísM Castanheira disse...

outono, poema da renovação.
tão sublime e real, como inspirado e criativo.
a húmida perfeição, minha amiga.
(no ano, para mim, a mais bela estação.)
com um beijo, Graça

Agostinho disse...

"As aves sublimam a profecia
das distâncias
com asas ansiosas de desertos
e montanhas"
e eu
num voo pegado bêbado
do vinho das metáforas
lanço-me na bruma da certeza:
há um farol que me guia
neste outono até ser dia.

Sublime a sua poética, Graça, não sei como dizer.

Bj.

Tais Luso disse...

O outono é uma estação de desafios, de ventos fortes, árvores antes belas agora em agonia, chão coberto de flores e folhas que murcharão. Mas é necessária para cumprir o ciclo da vida.
Nostálgico apesar de belo.

Um beijo, querida amiga.

CÉU disse...

Olá, Graça!

Acabei de fazer um relatório, mesmo agora, que me deu imenso trabalho.

Estou a passar pelo seu blogue, agora, já quase meia-noite, apenas, para lhe deixar um beijinho e desejos de bons sonhos.
Voltarei depois, se Deus quiser.

Beijinhos.

Mar Arável disse...

O Outono é mais um belo apeadeiro da vida

Bjs

Toninho disse...

Então é Outono e esta nudeza das arvores, este cinza das montanhas
Uma poetisa inspirada no aconchego, pisa nas folhas secas que cantam
uma linda canção de ninar os versos.
Lindo demais Graça.
Aplausos querida amiga.
Semana de paz para voce.
Bjs.

Isa Sá disse...

Bonito poema.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Lídia Borges disse...


Um desfiar de imagens de beleza cativante e muito própria, como um paisagem que de outono se entretece.

Um livro sempre presente, o seu Graça!

Um beijo

Lídia

Teresa Durães disse...

Um belo poema para a estacao que comeca

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, linda imagem do Outono acompanhada por um lindo poema em que as aves sublimam a profecia das distâncias.
resto de uma boa semana,
AG

Nequéren Reis disse...

Poema encantador arrasando como sempre,
tenha uma semana abençoada, obrigado pela visita.
Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal: https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Suzete Brainer disse...

Um poema sublime, que nos possibilita tocar
na sensibilidade humana da poeta.

Um canto lindo a este Outono na "pele" das árvores:

"Há uma espécie de desamparo
em cada árvore, abraçando
O vento rendida e desnuda!"
Belíssimo, Graça!

Boa semana!
Beijo.

Majo Dutra disse...

Gosto do Outono e tenho uma ideia mais romanesca sobre ele,
está muito bem destacado o lado desconfortável,
porém ainda podemos desfrutar dias
e ocasos fantásticos...

Impecavelmente bem escrito e descrito o seu sentir...
Beijinhos, estimada Poeta.
~~~~~~~~~~~~~~~

Smareis disse...

Eu adoro o outono Graça!
O poema belo.
Um abraço e boa semana!
Blog da Smareis

Mariazita disse...

Embora nascida no Outono... não é a minha estação preferida.
Contudo, o teu texto poético descreve-o com grande beleza.
Muito bom!

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Maria Sem Limites disse...

Mais uma vez um mega like a isto ;)
Beijinho.

Manuel Veiga disse...

o sobressalto das "gargantas sôfregas" nas macias cores de Outono -
a desalinharem a lentura dos dias ...

muito belo, Graça

beijo, minha amiga

Catarina H. disse...

E eu que gosto tanto do Outono, gostei também muito deste poema.
Lindo! Bravo!
Beijinhos e bom Outono :)

Arroz Di Leite disse...

Parabéns pelo lindo poema de outono e aqui chega a primavera.
Bjs

Tânia Camargo

CÉU disse...

É isso/isto mesmo, estimada Graça!
Detesto o outono. "Tudo" diminui, tudo fica com pouca luz, as árvores com poucas folhas, as pessoas ficam tristes e as roupas, tb, e surgem as malfadadas gripes.

Soube dizer/escrever/descrever tão bem todas estas características, poeticamente!em Pudera, a Graça é uma excelente poetisa e um mãe babadíssima, pelo que tenho lido.

Beijos e resto de boa semana.

Pedro Luso disse...

O poema “No outono” diz bem da aguçada sensibilidade
da poeta, cujos poemas levam-me sempre à reflexão.
Parabéns, Graça.
Abraço.
Pedro.

ManuelFL disse...

Hoje começa o outono.
Neste "lugar frágil", em que se insinua o desamparo, também se afirma a esperança.
O mar, que afoga os navios, é o mesmo que ama de madrugada a bruma salgada, e este é também o tempo em que «as pessoas envolvem o desconforto da pele em panos de tecelagem grossa e vigiam de perto a febre dos filhos».

Gostei da imagem que acompanha o poema.
Beijo, Graça.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Uma bela poesia nesta entrada do Outono.
Que ele seja suave, é o que eu desejo.
Precisamos de acalmar de um verão tão intenso.
Desejando que a amiga se encontre bem.
Bjs.
Irene Alves

Pérola disse...

O outono deprime-me, mas o teu texto deu-lhe uma nova roupagem.

Beijo

Ailime disse...

Boa noite Graça, um poema magnifico que descreve de forma sublime os meus sentimentos acerca do Outono.
O Outono e a estreiteza dos dias a gravar-me no olhar a noite que se anuncia.
Beijinhos com carinho.
Ailime

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Magnífico poema que reflecte de forma sublime os sentimentos que o Outono, na estreiteza dos dias, exerce em mim.
É como que a antecipação do Inverno.
Um beijinho com carinho.
Ailime

As Mulheres 4estacoes disse...

Olá Graça,
Por aqui primavera, estação que adoro, mas todas elas tem seus encantos.
Lindo poema.
Um abraço,
Sônia

Fá menor disse...

Belo entretecimento outonal.

Beijinhos

Fê blue bird disse...

Como eu gosto desta estação e do seu poema outonal amiga Graça.
Uma descrição sentida e vivida.

Um beijinho

Jaime Portela disse...

O outono é assim mesmo...
Excelente poema, como sempre.
Graça, tem um bom fim de semana.
Beijo.

manuela baptista disse...

também vigiamos de perto esta lentura da luz

para que aos filhos nasça esta febre de ler e escrever no outono e nos outros dias


muito bonito, Graça!

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, Amiga muito querida, Graça Pires !
É como se o tempo houvesse se cansado
do calor, pedindo uma trégua para
repousar... andar mais devagar.
Que belo poema ! Parabéns.
Um carinhoso abraço, aqui do meu Brasil.
Sinval.

Sissym Mascarenhas disse...



Sempre sonhei ver o outono com a cara que aprendi em imagens.
Tenho aqui comigo a primavera do jeitinho Carioca.

Graça, bom te ler.
Bjs

Sara com Cafe disse...

saudades intensa das chuvas na minha cidade natal. aaaaaaaaa que saudade!!

boa semana. aproveita por ai.

Mãe Maria disse...

gosto das cores do outono. Não gosto é do que ele anuncia: o inicio dos dias frios..O poema é muito bonito.

© Piedade Araújo Sol disse...

outono nas palavras a deslizar
por entre os dedos da inspiração
cheira a outono e a ternura

belíssimo, como sempre!

boa semana.

beijinhos

:)

graça Alves disse...

É lindo, Graça, sobretudo o final!
Beijinhos

Parapeito disse...

Gosto do Outono e deste Outono.
Belo, nostálgico, e cheio de ternura.
Abraço ***

Odete Ferreira disse...

Num registo impressivo em que os elementos significativos vestem a pele outonal, o sujeito poético funde-se na sua "lentura" como espetador privilegiado de um novo mundo a (re)nascer. Belíssimo!
BJ, Graça

Ana Freire disse...

Belíssimo trabalho, que assinala de uma forma magnífica a chegada desta estação do ano...
Como sempre um mix perfeito de sensibilidade, força, e talento sobressaindo das suas palavras, Graça...
Beijinhos
Ana